Sarampo avança 1.034% e São Paulo amplia ação de combate

Entre 17 de junho e esta segunda-feira (22),  o número de casos confirmados de sarampo na capital paulista pulou de 32 para 363 ( representando um avanço de 1.034%), dos quais 70 são autóctones (contraídos no município).

Para conter a escalada, a campanha de vacinação de jovens de 15 a 29 anos, público-alvo da ação, será realizada nas escolas e nos batalhões da PM. Empresas que se recusarem a colaborar com as ações de bloqueio podem ser fechadas por 21 dias.

Uma campanha com o público-alvo, que tem menos chance de ter completado o esquema vacinal do sarampo – composto por duas doses, está sendo realizada desde 10 de junho. No entanto, apenas 6% dessa população se vacinou.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) informou que ações para combater fake news relacionadas às vacinas – que estariam atrapalhando a imunização – e a capacitação de profissionais com foco na doença também estão sendo realizadas. “Essa questão não envolve só a Secretaria de Saúde. Temos 45 mil alunos na aprendizagem de jovens e adultos. Não é um desafio a ser vencido só pelo poder público, mas envolve a responsabilidade de toda a sociedade.”

Segundo o secretário de Estado de Educação, Rossieli Soares, uma campanha de conscientização será feita com os jovens. “É muito importante olhar para o público-alvo, porque temos grande parte desse público e as taxas de sucesso são muito maiores quando há parcerias desse tipo.”

De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido, a meta é vacinar aproximadamente 3 milhões de jovens. “Um caso da doença pode contaminar de 11 a 18 pessoas. Sarampo não é uma gripe, é uma doença que mata.”

Coordenadora de Vigilância em Saúde, Solange Maria Saboia e Silva disse que há cerca de 800 casos em investigação – avanço de 444%, em relação aos 147 em análise há um mês. A circulação do vírus começou em fevereiro, a partir de casos importados de Israel, Malta e Noruega. “Temos verificados vários surtos de pessoas que trouxeram o vírus e estamos fazendo todos os esforços para evitar epidemia. Temos bairros com maior circulação, mas não existem regiões em que as pessoas não precisam se vacinar. Todas as regiões estão sujeitas à circulação da doença.”

A vacinação já está ocorrendo em parques, no transporte público, em shoppings e também será levada para os batalhões da Polícia Militar. ” Toda a estrutura da instituição estará disponível como ponto de vacinação”, afirma Marcelo Vieira Salles, comandante-geral da PM.

*Com Estadão Conteúdo

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Nos pênaltis, Flamengo perde para o Racing e é eliminado da Libertadores

O Flamengo foi eliminado da segunda competição em um mês. Depois de cair nas quartas de final da Copa do Brasil para o São...

River Plate vence por 1 a 0 e elimina o Athletico-PR da Libertadores

O Athletico-PR tentou, mas não conseguiu comparar forças com o River Plate em Avellaneda e acabou eliminado nas oitavas de final da Copa Libertadores...

Com confusão de arbitragem, Santos perde da LDU, mas se classifica às quartas da Libertadores

Com a vitória no jogo de ida por 2 a 1, o Santos conquistou a vaga para as quartas de final da Copa Libertadores...

Mario Frias celebra lei, enaltece Bolsonaro, mas esquece que projeto é de deputada do PT

Mario Frias esquece de responsável por lei e enaltece Bolsonaro (Imagem: Divulgação / RedeTV!) Secretário especial de Cultura do governo, Mario Frias celebrou a conquista...

Liverpool vence Ajax e se classifica às oitavas da Liga dos Campeões

Sem contar com Alisson no gol por estar machucado, mas com Fabinho e Roberto Firmino em campo, o Liverpool “jogou para o gasto” nesta...