Senador fluminense diz que Alerj ‘passará recibo’ se não aprovar impeachment de Witzel

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) disse nesta terça-feira (26) que a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) precisa aprovar o impeachment do governador Wilson Witzel após a operação Placebo da Polícia Federal, que investiga supostos desvios na saúde pública no estado.

Segundo Arolde, a Alerj irá “passar recibo” se não aprovar o impedimento do governador. “Vamos ter o quinto governador preso por corrupção, duas décadas de devastação. A Alerj tem que aprovar o impedimento do governador ou passará recibo de que também pertence à quadrilha. Pobre Rio de Janeiro, vamos negar votos a essa corja na eleição que vem aí”, disse no Twitter.

A fala do senador foi em relação a outros ex-governadores do Rio que também foram presos nos últimos anos. Ao todo, foram cinco: Wellington Moreira Franco, Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão, Rosinha Garotinho e Anthony Garotinho. Deles, apenas Cabral segue detido.

A Operação Placebo apura desvios de verbas que deveriam ser usadas no combate à pandemia do coronavírus. Witzel e a mulher, Helena, foram alvos de mandados de busca e apreensão autorizados pelo ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Um dos mandados foi cumprido no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo fluminense, e outro na casa do governador no Grajaú, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro.

*Com Agência Senado