Bernardo Küster: ‘Se Bolsonaro interferisse na PF, não teriam entrado na minha casa’

O youtuber Bernardo Küster, um dos alvos do inquérito das fake news no Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou, em entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (1º), que o fato da Polícia Federal ter ido à casa dele na semana passada é uma prova de que o presidente Jair Bolsonaro não interfere na corporação.

“Se tivesse interferência [de Bolsonaro na PF], não teriam invadido minha casa”, disse Küster. “Ele deixaria a base dele se ferrar desse jeito?”, questionou.

Bernardo Küster é parte do grupo de pessoas ligadas ao presidente da República que foi alvo de operação da PF na quarta-feira (27). Blogueiros, empresários e parlamentares estavam envolvidos na investida da corporação no âmbito do inquérito das fake news, sob o comando do ministro do STF Alexandre de Moraes.

Sobre o assunto, Küster disse que sequer sabe do que é acusado. “Estão me acusando de uma coisa que eu não sei. Nem o PGR [Augusto Aras, procurador-geral da República] sabe do que se trata, está todo mundo no escuro”, afirmou. “Se o Bolsonaro tivesse alguma ingerência na PF, não estaria acontecendo um negócio desses”, voltou a dizer.

Reações de Bolsonaro

Ainda na entrevista, Bernardo Küster falou que o presidente Jair Bolsonaro precisa reagir mais às pessoas que o atacam.

“O grande erro do governo Bolsonaro é falar muito e fazer pouco contra as pessoas que o combatem”, afirmou. “Nunca vi Bolsonaro processar jornalista que o chama de nazista”, exemplificou o youtuber.

Küster, apesar da fala, saiu em defesa da liberdade de imprensa. Para ele, quanto mais imprensa, melhor. “Tem que ter mais liberdade. Quanto mais liberdade e mais pessoas falarem, melhor”, disse.