Marchezan lidera corrida pela Prefeitura de Porto Alegre; Manuela d’Ávila tem a maior rejeição

Levantamento divulgado pelo instituto Paraná Pesquisas nesta quarta-feira, 24, aponta que Nelson Marchezan Jr. (PSDB) é o favorito para ser reeleito prefeito de Porto Alegre nas eleições municipais deste ano. Na pesquisa estimulada, em que os entrevistados precisam escolher uma das opções apresentadas, as intenções de voto em Marchezan atingem 20,8%, contra 14,5% de Manuela d’Ávila e 10,7% de José Fortunati (PTB). Sebastião Melo aparece com 10,2%. Em cenário sem José Fortunati, as intenções de voto em Marchezan aumentam para 23,8%, e em Manuela vão para 15,3%. Já na pesquisa espontânea, quando os entrevistados podem falar qualquer nome, Marchezan foi o mais lembrado, com 5,9% das intenções de voto. Ele é seguido por Manuela d’Ávila (PCdoB), com 3,6%, e Sebastião Melo (MDB), com 1,9%. Entretanto, 71,8% dos eleitores disseram ainda não saber em quem votarão.

De acordo com a pesquisa, Nelson Marchezan Jr., o primeiro prefeito do PSDB eleito na capital do Rio Grande do Sul, venceria um possível segundo turno contra Manuela d’Ávila e Sebastião Melo. Na disputa com a candidata do PCdoB, ele tem 43,9% das intenções de voto, contra 29,3% dela, e 20,1% que não votariam em nenhum dos dois. Já no cenário com Melo, o resultado é de 41,8% contra 32,2% a favor do atual prefeito, com 20,2% não votando em nenhuma opção. Em uma situação em que Marchezan não vá para o segundo turno, Sebastião Melo tem vantagem sobre Manuela d’Ávila. O candidato do PTB tem 38% das intenções de votos, contra 33,4% de Manuela, e 22,4% não escolheriam nenhum dos dois.

O levantamento ainda perguntou a rejeição dos eleitores aos candidatos. Manuela d’Ávila tem a maior rejeição entre os entrevistados: 50,7% não votariam nela de jeito nenhum. A rejeição a Marchezan ficou em 36,9% e a Sebastião Melo, em 34,3%. O Paraná Pesquisas ouviu, por telefone, 802 eleitores de Porto Alegre entre os dias 19 e 23 deste mês. A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tem margem de erro de 3,5%.

O estudo também perguntou se apoios aos candidatos à prefeitura de Porto Alegre mudariam a intenção de voto dos eleitores. Para 21,2% dos entrevistados, o apoio do presidente Jair Bolsonaro a um candidato aumentaria a vontade de votar nele, enquanto 35,5% acreditam que diminuiria, e 40,9% acham que não alteraria nada. Já em relação ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), 25,4% acreditam que o apoio dele aumentaria as intenções de voto, enquanto 19,2% acham que diminuiria e 53,2% que não mudaria nada.

Eleiçoes municipais

Senado aprovou, na noite de terça-feira, 23, a proposta de emenda à Constituição (PEC nº 18/2020) que adia as eleições municipais de outubro para novembro por causa da pandemia da Covid-19. O primeiro turno do pleito, que estava marcado para 4 de outubro em todos os municípios brasileiros, será realizado no dia 15 de novembro. Já o segundo foi adiado de 25 de outubro para o dia 29 de novembro. Agora, o texto segue para a Câmara dos Deputados, onde há uma resistência maior à medida. Com a previsão das eleições ainda para este ano, fica garantido o período dos atuais mandatos. A data da posse dos eleitos também permanece inalterada. Prefeito, vice-prefeito e vereadores têm mandato de quatro anos e tomam posse em 1º de janeiro. A proposta torna sem efeito — somente para as eleições municipais deste ano — o artigo 16 da Constituição, segundo o qual qualquer lei que alterar o processo eleitoral só se aplicará à eleição que ocorrer após um ano de sua vigência.