Morre aos 93 anos o arquiteto Gian Carlo Gasperini

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Morreu, aos 93 anos, o arquiteto Gian Carlo Gasperini na noite desta quarta-feira (15), após complicações causadas por uma pneumonia.

Ele, que é autor de algumas das obras mais importantes do Brasil, estava há dois dias internado no Hospital Albert Einstein devido à inflamação nas vias respiratórias.

Nascido em Nápoles, na Itália, Gasperini se mudou para o Rio de Janeiro em 1949, onde se formou em arquitetura e urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ele se mudou para São Paulo para trabalhar com o francês Jacques Pilon e, nos anos 1960, começou a lecionar na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Nesse período, montou o escritório Aflalo/Gasperini Arquitetos em 1962 – na época, com o nome Croce, Aflalo & Gasperini, junto com Plinio Croce e Roberto Cláudio dos Santos Aflalo.

“Foi um privilégio estar com ele por tanto tempo, tanto no lado profissional quanto pessoal. Ele se tornou um legado muito significativo para a arquitetura”, diz Aflalo.

Entre seus principais projetos, estão o edifício Pauliceia, o Tribunal de Contas do Município de São Paulo e os edifícios-sede da IBM e do Citibank em São Paulo.

Ele também é responsável pelo projeto do edifício Peugeot, em Buenos Aires, vencedor do Concurso Internacional patrocinado pela União Internacional de Arquitetos e feito em colaboração com o Plinio Croce, Roberto Aflalo e Eduardo Patrício Suarez.

Gasperini também lecionou na pós-graduação da Universidade de São Paulo e se dedicou à pesquisa na área de projetos de edificações.

Em 2010, o arquiteto recebeu o tíulo de cidadão paulistano e, em 2015, foi homenageado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pelo conjunto de sua obra.

Ele deixa esposa, Vera Maria Prado Guimarães, filho, Carlos Gasperini, e os netos Gabriela e Renato Gasperini.