SP projeta 26 mil mortes pelo novo coronavírus até o fim de julho

O Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo estima que o estado de São Paulo possa ter, até o final deste mês de julho, entre 21 mil e 26 mil óbitos provocados pelo novo coronavírus.

O Centro também estima que o estado feche o mês com um número entre 510 mil e 600 mil pessoas infectadas por covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Até hoje (16), o estado soma 402.048 casos confirmados do novo coronavírus, com 19.038 mortes.

O Centro havia previsto que o estado teria, até ontem (15), entre 335 mil e 470 mil casos confirmados de covid-19 e entre 18 mil e 23 mil mil óbitos. O estado ficou dentro do esperado, fechou o dia de ontem com 393.176 casos confirmados e 18.640 óbitos.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, anunciou hoje em coletiva à imprensa que o estado paulista vem ampliando sua capacidade de testagem do novo coronavírus. Desde o início da pandemia até o dia 30 de junho, o estado fez 1,1 milhão de testes diagnósticos, sendo 26 mil deles no mês de março, 108 mil em abril, 361 mil em maio e 663 mil em junho.

Na primeira semana de julho, o estado fez 128 mil testes. E a média, este mês, tem sido de 18 mil testes por dia, testando entre 45 e 50 pessoas a cada 100 mil habitantes, semelhante ao que fez a Alemanha, no mês passado. “A Alemanha, em junho, em uma situação parecida com a nossa, mas um pouco mais avançada, estava com nível de testagem em torno de 50 testes para cada 100 mil habitantes. Hoje eles fazem em torno de 70 testes a cada 100 mil habitantes”, disse Patricia Ellen.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a ideia em São Paulo é ampliar ainda mais a sua capacidade de testagem, chegando a 50 testes a cada 100 mil habitantes até o final deste mês e a 70 testes por 100 mil habitantes em agosto.

Com informação: Agência Brasil