David Villa nega ter assediado sexualmente ex-funcionária de clube dos EUA

O espanhol David Villa afirmou, nesta quinta-feira, 23, à Agência Efe, que são falsas as acusações de abuso sexual feita por uma antiga funcionária do New York City, clube que jogador defendeu entre 2015 e 2018. “Não entra na minha cabeça que alguém pode pensar isso de mim. Tenho uma trajetória em diferentes clubes e na seleção espanhola, em que trabalhei com mais de mil jogadores, auxiliares, funcionários, muitas mulheres. Nunca ninguém teve uma queixa minha e nunca tive uma queixa de ninguém, em país algum”, disse o ex-atacante.

Villa, campeão mundial em 2010, que vive com família na cidade de Gijón, na Espanha, revelou que soube da denúncia feita através das redes sociais ainda no fim de semana, que acompanhou a repercussão do caso e que está em choque. “Não posso acreditar que uma acusação assim, falsa, seja divulgada e cresça assim, mais e mais, tão rapidamente. Você acaba se sentindo indefeso diante dessa situação”, disse o ex-jogador, que é um dos proprietários do Queensboro FC, clube de Nova York que disputa uma das ligas secundárias do futebol dos Estados Unidos.

Acusação contra o espanhol foi feita por uma mulher identificada como Skyler B, que publicou na quinta-feira passada uma série de mensagens no Twitter, relatando o assédio que sofreu durante o período em que trabalhou no New York City. “Eu pensei que estava tendo a oportunidade de ter um tempo de vida, quando consegui esse estágio. O que eu consegui foi David Villa me tocando todos os dias, e meus chefes achando que era um ótimo material cômico”, escreveu a suposta vítima. “Eu ainda acho engraçado que me diziam constantemente que tinha uma atitude terrível naquele trabalho, como se eu não aparecesse todos os dias sabendo que seria apalpada, alvo de piadas ou teria duas mãos sendo enfiadas nas costas. É claro que tive uma atitude ruim”, completou. Segundo a imprensa americana, o New York City anunciou que investigará o caso.

*Com EFE