Jornalista de Manaus sofre ameaça e atentado após sair do trabalho

Alex Mendes Braga, jornalista que denuncia casos de corrupção no Amazonas, foi alvo de atentado na noite de quinta-feira, 23, em um das principais avenidas de Manaus. O comunicador apresenta o programa Amazonas Diário, do Grupo Diário de Comunicação (GDC), transmitido pela Record News Manaus e, na quinta, saiu da empresa em direção à sua residência. No entanto, o veículo que dirigia foi seguido e sofreu uma forte batida na traseira por um carro de modelo Jeep, sem placas. Após a colisão, o motorista do Jeep e demais passageiros saíram do veículo e agrediram o apresentador.

“Um deles chegou até mim e citou o programa dizendo ‘Você está falando muito em seu programa e deve para muita gente. Nós vamos te matar’ e desferiu um soco no rosto. Logo depois mostrou que estava armado e os demais quatro homens também portavam armas. Quando percebi o perigo, saí do local correndo”, relatou Braga. “Um grupo de seguranças de um estabelecimento comercial me amparou. Quando voltei ao veículo, vi que tinham levado dinheiro e objetos pessoais”, lamentou o jornalista ao Estadão.

O jornalista publica uma coluna nos jornais Diário do Amazonas e Dez Minutos. Em nota de primeira página nos dois veículos, a empresa jornalística citou que “a garantia do trabalho da imprensa profissional assegura voz para todos os segmentos da sociedade”, ao destacar que “a liberdade de imprensa é um dos pilares do estado democrático de direito”, além de exigir “a apuração dos fatos e a punição”.

O caso foi registrado no 19ª Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus, mas deve ser transferido para o 10º DIP devido ao local da ocorrência.

ANJ pede apuração do crime

A agressão foi repudiada por entidades nacionais como a Associação Nacional de Jornais (ANJ), que lamentou o ocorrido e “aguarda rápida apuração do crime, com a identificação dos autores e mandantes, e seu encaminhamento à Justiça”.

Em nota, a ANJ afirma que “o atentado claramente visa a intimidar o jornalista e o grupo de comunicação para o qual trabalha. É preocupante que a atividade jornalística seja alvo de violências como essa, pois elas atingem não apenas os profissionais da imprensa e as empresas de comunicação, mas sobretudo o direito da sociedade de ser livremente informada. A ANJ deseja o pronto restabelecimento de Alex Braga, na certeza de que ele e o Grupo Diário prosseguirão fazendo jornalismo de forma responsável e comprometido com os interesses dos cidadãos”.

Em matéria publicada nesta sexta-feira, 24, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) cita que, ao chegar a Manaus, Braga passou a andar de carro blindado. Segundo o jornalista, a agressão que sofreu foi um recado: “Tenho medo do próximo passo. Eles já provaram que podem tudo.”