Entenda o que é a trombose venosa cerebral


Apresentador Rodrigo Rodrigues teve uma TVC e foi submetido a cirurgia. Anteriormente, ele foi diagnosticado com Covid-19. Especialistas ouvidos pelo G1 apontam possível relação entre coronavírus e aumento na coagulação do sangue. Rodrigo Rodrigues, apresentador do SporTV
Divulgação
O jornalista e apresentador do SporTV, Rodrigo Rodrigues, teve uma trombose venosa cerebral (TVC) e foi submetido no domingo (26) a uma cirurgia para aliviar a pressão intracraniana, de acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital. Anteriormente ele foi diagnosticado com Covid-19.
A trombose venosa cerebral é um problema de circulação que acontece nas veias do cérebro. Ela é causada pela formação de uma espécie de bloco de sangue com consistência mais sólida, ou seja, menos fluida – o chamado coágulo.
Em entrevista ao G1, o professor na Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu (SP), Marcone Lima Sobreira, explicou que a formação do coágulo no “território cerebral” pode ser identificada por uma forte dor de cabeça que surge de uma hora pra outra.
“Ela é mais comum em pessoas acima dos 60 anos de idade”, disse Sobreira. “Mas pode estar associada, em mulheres mais jovens, ao uso do anticoncepcional.”
Sintomas da TVC
Além de uma forte e repentina dor de cabeça, os sintomas da trombose vascular cerebral podem ser:
Convulsão
Alteração na vista
Dificuldade na fala
Tontura
Covid e o excesso de coagulação
A coagulação excessiva é apontada como uma das possíveis respostas do corpo a uma infecção causada pelo novo coronavírus. Mais recentemente, pesquisadores brasileiros registram pela primeira vez a formação de ‘microtrombose’ em pacientes graves de Covid-19
“A gente não tem ainda claro, tudo esclarecido, de como a Covid atua como doença. Tem muitas inferências acontecendo, e muitas coisas a gente vai aprendendo. Mas independente da Covid, a inflamação se comunica muito com a formação de trombose” – Marcone Lima Sobreira, da Divisão de Cirurgia Vascular e Endovascular, da Unesp em Botucatu
Ainda em abril, a pneumologista e pesquisadora Elnara Negri, do Hospital Sírio Libanês (SP), apontou que os problemas dos pacientes graves de Covid-19 não estavam ligados somente à inflamação dos pulmões, mas, também, à coagulação excessiva.
À época ela disse ao G1 que coronavírus provoca algumas reações no corpo da pessoa infectada – o acionamento do sistema imunológico é uma delas. Mas em alguns casos essa “resposta corporal é muito forte”.
A pesquisadora da Fiocruz, Margareth Dalcolmo, reforçou que a Covid-19 é uma síndrome, e não se manifesta da mesma forma sempre. Ela relatou que muitos paciente morreram inicialmente, sem que se tivesse claro o porquê, por fenômenos vasculares como trombose e embolia.
“Esta é uma doença de comportamento sindrômico, uma delas é a pneumonia, mas a doença já se mostrava profundamente trombogênica, ela não ficava localizada no pulmão apenas”, disse Dalcolmo.
Initial plugin text