Metroviários de São Paulo aprovam greve a partir desta terça-feira

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Os metroviários de São Paulo aprovaram greve da categoria a partirdesta terça-feira (28). Diferentemente do que ocorre nas paralisações do Metrô, os trabalhadores vão começar a greve a partir das 4h30 e não à meia-noite.

Segundo Altino Prazeres, coordenador do Sindicato dos Metroviários, as estações não serão abertas. O turno da noite funcionará normalmente entre segunda e terça, mas as estações ficarão fechadas na terça.

A greve foi definida em assembleia da categoria, na noite desta segunda-feira (27). O coordenador afirma que 70% dos participantes aprovaram a paralisação. A assembleia contou com a participação de cerca de 3.000 metroviários.

As negociações da categoria começaram em maio. A intenção dos funcionários era que a convenção de 2019/2020 seguisse válida durante o estado de pandemia. Para isso, desistiram de ter reajuste salarial. No entanto, o Metrô não aceitou, e a briga foi parar na Justiça

Nesta segunda à tarde, o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de SP limitou a paralisação, obrigando funcionamento de 95% dos trens nos horários de pico e de 65% nos demais horários.

No dia 23, os metroviários receberam um comunicado do Metrô informando sobre um corte de nos salários nominais e nas gratificações de função referentes ao mês de julho. A redução anunciada foi de 10%.

De acordo com Wagner Fajardo, diretor do sindicato, além deste corte, a companhia planeja reduzir o adicional noturno de 50% para 20% e a hora extra de 100% para 50%. Os sindicalistas informam também que a empresa sinalizou a intenção de aumentar o valor da participação dos trabalhadores no plano de saúde.