Bispos católicos enviam carta contra Bolsonaro. "Ódio e preconceito"

Mais de 150 bispos da Igreja Católica criticaram a resposta de Jair Bolsonaro à pandemia, que consideram negligente, incapaz e omissa, numa missiva intitulada ‘Carta ao Povo de Deus’, que foi divulgada através da imprensa.

Os líderes católicos indicam que o Brasil enfrenta uma “tempestade perfeita”, com uma crise sanitária sem precedentes, uma queda da economia devastadora e uma profunda crise política causada, em grande parte, pelo presidente de extrema-direita.

Os bispos falam de “omissão, apatia e rejeição pelos mais pobres”, além de “incapacidade para enfrentar crises”. Dizem, ainda, que o presidente usa o nome de Deus para “difundir mensagens de ódio e preconceito”. 

“Assistimos a discursos anticientíficos, que tentam naturalizar ou normalizar o flagelo dos milhares de mortes pela Covid-19”, lê-se ainda, apelando aos brasileiros para que despertem “do sono” que os “imobiliza” e os “faz meros espectadores da realidade de milhares de mortes”.

A carta aberta surge depois dos profissionais da saúde terem apresentado no domingo (26), uma queixa contra o presidente Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, denunciando a atuação do presidente na pandemia do novo coronavírus.

Recorde-se que o maior país da América do Sul soma, desde 26 de fevereiro, quando o primeiro caso de Covid-19 foi confirmado no Brasil, 87.618 óbitos e 2.442.375 infecções pelo novo coronavírus.