Carlos Carvalhal explica negociação e exalta Flamengo: ‘É um dos maiores clubes do mundo’

Carlos Carvalhal parece estar cada vez mais longe do Flamengo. Depois da imprensa portuguesa cravar o acerto do treinador com o Braga, terceiro coloca no último campeonato nacional, o próprio técnico colocou o Rubro-Negro como um destino improvável. Em entrevista à Sky Sports, na manhã desta terça-feira, 28, o agora ex-comandante do Rio Ave classificou o clube carioca como um dos maiores do mundo, mas explicou que pandemia da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, é um dos entraves para ele aceitar a proposta do time brasileiro.

“É um dos maiores clubes do mundo. Noventa e cinco por cento dos treinadores do mundo aceitariam esse desafio”, disse Carvalhal. “Eu tenho que tomar uma decisão e preciso conversar com minha família. Precisamos viver com a realidade e minha decisão não será apenas sobre futebol. Vou tentar antecipar o que acontecerá com o coronavírus em outubro, novembro e dezembro. Vou tentar encontrar a melhor maneira de dar um próximo passo importante no minha carreira, mas ao mesmo tempo proteger minha família”, completou.

Neste caso, a situação da pandemia no Brasil atrapalha os planos da diretoria flamenguista. O país é o segundo com mais casos e mortes provocadas pela doença. Para piorar, o número de pessoas infectadas permanece subindo e o Ministério da Saúde segue contabilizando mais de mil óbitos por dias nas últimas semanas.

Ainda assim, Carlos Carvalhal se demonstrou honrado por ter conversado com Marcos Braz, vice de futebol do Rubro-Negro, e o diretor executivo Bruno Spindel. No entendimento do português, o Flamengo normalmente entra em contato com técnicos que ganharam muitos troféus. “É por isso que estou muito feliz. Os clubes estão vindo para mim não por causa dos resultados, mas por causa do estilo de jogo. Foi por isso que o Flamengo entrou em contato comigo. Sinto isso”, comentou.

Carvalhal, entretanto, deve fechar com o Braga, clube que já foi comandado pelo treinador em 2006. Segundo “A Bola”, “O Jogo” e “Record”, os principais veículos de comunicação de Portugal, o acerto deve ser oficializado nos próximos dias.