Anitta revela que foi estuprada na adolescência: “Parei de me culpar”

<span class="hidden">–</span>CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Nesta quarta-feira (16/12), a Netflix estreou a série documental Anitta: Made In Honório, que conta um pouco mais sobre a trajetória de uma das maiores artistas do nosso país. Neste primeiro episódio, a cantora abre o coração em um desabafo emocionante e revela ter sido estuprada aos 14 anos.

Aviso: essa matéria contém gatilhos sobre violência sexual.

“Nunca expus isso em público. Sempre me coloquei em relações abusivas. Quando eu tinha 14 para 15 anos, eu conheci uma pessoa e tinha medo dela. Ele era autoritário comigo, falava de forma autoritária. Eu não sei, eu era diferente quando adolescente. Não era do jeito que sou hoje em dia”, conta a artista em lágrimas.

Então, ela relembra o episódio. “Ele estava muito nervoso, muito estressado. Eu estava com bastante medo das reações dele quando estava estressado e acabei perguntando se ele queria ir para algum lugar só nós dois. Na mesma hora, ele parou o estresse dele e perguntou se eu tinha certeza. Falei que sim, mas, hoje, tenho plena certeza que falei que sim porque eu estava morrendo de medo do estresse dele, sabe? Quando cheguei lá, eu percebi que não era certo eu fazer aquilo por medo nem nada. Eu falei que não queria mais, mas ele não ouviu. Ele não falou nada. Só seguiu fazendo o que queria fazer. Quando ele acabou, ele saiu, abriu uma cerveja e eu fiquei olhando para a cama cheia de sangue”.

“Faz muito pouco tempo que parei de achar que isso é minha culpa. Faz muito pouco tempo que eu parei de achar que eu causei isso para mim. Sempre tive medo do que as pessoas iam falar. ‘Como ela pode ser sofrido isso e hoje ser tão sexual, tão aberta?’. Não sei. O que eu sei é que peguei isso que vivi e transformei em uma coisa para me fazer sair por cima, me fazer sair melhor”, pontuou a cantora.

Continua após a publicidade

Infelizmente, o que aconteceu com a Anitta é também a realidade de muitas pessoas no Brasil. De acordo com a 14ª edição do Anuário de Segurança Pública, um estupro foi registrado a cada 8 minutos em 2019. Foram 66.123 boletins de ocorrência de estupro e de estupro de vulnerável registrados apenas ano passado. Lembrando que o número real de casos deve ser muito maior. Uma vez que esse é um tipo de crime que ainda carrega um constrangimento na hora de registrar a ocorrência.

Para saber como denunciar um caso de abuso sexual, a CAPRICHO preparou uma matéria sobre o assunto. As denúncias podem ser feitas presencialmente ou por telefone/e-mail. Na maioria dos casos, o anonimato é garantido. Clique aqui para mais informações.

Continua após a publicidade

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Melhor jogador do mundo pela Fifa, Lewandowski quebra recorde de 52 anos na Bundesliga

A temporada tem sido de conquistar pessoais para Robert Lewandowski. Depois de conquistar a Tríplice Coroa na Alemanha (Bundesliga, Copa da Alemanha e Liga...

Fifa altera cronograma do Mundial de Clubes e divulga data da estreia do campeão da Libertadores

Na manhã desta segunda-feira, 18, a Fifa anunciou algumas mudanças no cronograma do Mundial de Clubes 2020, que acontecerá entre os dias 01 e...

Diretor esportivo do PSG confirma interesse na contratação de Messi ao final da temporada

Lionel Messi está na mira do Paris Saint-Germain para a próxima temporada. Quem confirmou os rumores foi o diretor esportivo do clube, Leonardo, em...

Você conhece os benefícios de praticar esportes diariamente? Rafael Libman responde

Nos últimos tempos temos tido mais certeza de que manter uma vida saudável é a chave do sucesso para evitar doenças e...

Rafael Libman dá dicas para correr meia maratona

Correr é muito bom e há poucos que ousam discordar disso. Afinal, a sensação de liberdade, vento no rosto e superação que...