Indústria do Sul supera o patamar pré-crise em outubro

A maior influência no resultado nacional foi o Paraná, que cresceu 3,4%

É a sexta taxa positiva consecutiva da indústria paranaense, com ganhos acumulados de 51,5% nesse período

O setor industrial nacional apresentou alta em oito dos 15 locais analisados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM-Regional), na passagem de setembro para outubro. O resultado, divulgado pelo IBGE, mostra também que nove localidades superaram o patamar pré-pandemia: Amazonas, Santa Catarina, Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Pará e Rio Grande do Sul.

A maior influência no resultado nacional em outubro foi o Paraná, que cresceu 3,4%. É a sexta taxa positiva consecutiva da indústria paranaense, com ganhos acumulados de 51,5% nesse período. “Muito por conta do crescimento do setor de máquinas e equipamentos, bastante atuante na indústria do estado”, explica Bernardo Almeida, analista da pesquisa.

Pernambuco (2,9%) e Santa Catarina (2,8%) também tiveram crescimento acentuado. Os estados do Mato Grosso (1,1%), do Ceará (0,5%), de São Paulo (0,5%) e de Minas Gerais (0,4%) completam a lista de locais com aumento de produção industrial em outubro, com destaque para a indústria paulista, que apesar da alta menor que de outras regiões, teve a segunda maior influência, dado o tamanho do parque industrial.

“Este mês, a maior influência na indústria paulista foi do setor de outros equipamentos de transporte, principalmente veículos ferroviários, com a produção de vagões”, analisa Almeida. Tradicional motor da indústria do estado, o setor de veículos também foi importante para a taxa positiva, lembra o especialista. O estado registrou a sexta taxa consecutiva, com acumulado de 47% no período, e está 5,3% acima do patamar pré-pandemia de fevereiro.

Na comparação contra outubro do ano anterior, a produção industrial, que teve alta de 0,3%, cresceu em nove dos 15 locais pesquisados, mesmo com outubro de 2020 tendo 21 dias úteis, dois a menos do que outubro de 2019. Santa Catarina (7,6%), Pernambuco (7,2%) e Ceará (6,1%) registraram as maiores altas. Amazonas (5,2%), Pará (4,9%), Paraná (4,8%), Rio Grande do Sul (2,6%), São Paulo (2,1%) e Minas Gerais (1,4%) completam a lista de locais com crescimento na produção, enquanto Mato Grosso (-11,7%) e Goiás (-9,6%) apontaram as maiores quedas. Espírito Santo (-7,6%), Bahia (-6,5%), Rio de Janeiro (-5,6%) e região Nordeste (-0,2%) apresentaram as demais taxas negativas de outubro de 2020 contra outubro de 2019.

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Confiança do comércio tem queda menor em fevereiro

Segundo recuo consecutivo no ano revela preocupação dos empresários com a economia

Programa abre inscrições para apoiar startups do agronegócio

Intensive Connection tem a assinatura do hub de inovação AgTech Garage com apoio do Sicredi

Intenção de consumo das famílias recua

Indicador revela que incertezas econômicas têm aumentado a cautela dos brasileiros

Mercado diminui projeção para crescimento da economia

Expectativa para o PIB caiu de 3,43% para 3,29%