Inflação avança 0,86% em outubro

É a maior alta para o mês desde 2002

Alimentação teve forte impacto no índice

A alta no preço dos alimentos e das passagens aéreas pressionou a inflação de outubro, que acelerou para 0,86%, acima da taxa registrada em setembro (0,64%). Esse é o maior resultado para um mês de outubro desde 2002, quando o indicador foi de 1,31%. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo IBGE. No ano, a inflação acumula alta de 2,22% e, em 12 meses, de 3,92%, acima dos 3,14% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2019, o indicador havia ficado em 0,1%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em outubro. A maior variação (1,93%) e o maior impacto (0,39 ponto percentual) vieram, mais uma vez, de alimentação e bebidas, que desaceleraram em relação ao resultado de setembro (2,28%). Isso ocorreu em função das altas menos intensas em alguns alimentos, como o arroz (13,36%) e o óleo de soja (17,44%).

Por outro lado, a alta nos preços do tomate (18,69%) foi maior que em setembro (11,72%). Outros itens, como as frutas (2,59%) e a batata-inglesa (17,01%), também registraram variações positivas em outubro, após recuo dos preços no mês anterior. As carnes subiram 4,25%. Já no lado das quedas, destacam-se a cebola (-12,57%), a cenoura (-6,36%) e o alho (-2,65%). “Todos esses itens têm contribuído para alta sustentada dos preços dos alimentos, que foram de longe o maior impacto no índice do mês”, afirma Pedro Kislanov, gerente da pesquisa.

O segundo maior impacto (0,24 ponto percentual) sobre a inflação veio dos transportes (1,19%), principalmente, das passagens aéreas (39,83%), que contribuíram com 0,12 ponto percentual exercendo o maior impacto individual no índice geral. Houve alta nos preços das passagens em todas as regiões pesquisadas, que foram desde os 21,66% em Porto Alegre até 49,71% em Curitiba. “A alta nas passagens aéreas parece estar relacionada à demanda, já que com a flexibilização do distanciamento social, algumas pessoas voltaram a utilizar o serviço, o que impacta a política de preços das companhias aéreas”, explica Kislanov, lembrando que os preços das passagens foram coletados em agosto para quem ia viajar em outubro.

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Eleitor de Bolsonaro é condenado a pagar indenização por fake news contra a Band

Bolsonarista perde ação na Justiça contra a Band (Imagem: Reprodução – Band – SBT / Montagem – RD1) Eleitor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido),...

Dormir mal faz mal para a sua pele! Entenda:

A fashionista Deise Zuqui é apaixonada pelo mundo da moda e da beleza, dessa forma, está sempre atenta a esse tema, entusiasta...

Bolsonaro liberou mais verba para SBT e Record, que juntas têm menos audiência que a Globo

Jair Bolsonaro deu mais dinheiro para SBT e Record na comparação com a Globo (Imagem: Divulgação / SBT) Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido)...

Confiança da indústria teve nova alta em junho

Índice avançou pelo segundo mês consecutivo Indicador está próximo dos patamares registrados durante a recuperação econômica do...

Bolsonaro provoca a Globo e posta foto assistindo a Copa América no SBT

Bolsonaro divulga Seleção Brasileira no SBT para provocar a Globo (Imagem: Reprodução / Globo) O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mostrou o grande evento da...