Comércio cresce 1,8% de março para abril

Essa é a maior alta para o mês de abril desde 2000

Setor avança 4,5% no acumulado do ano

O volume do comércio varejista brasileiro teve alta de 1,8% de março para abril deste ano. O crescimento veio depois de uma queda de 1,1% observada na passagem de fevereiro para março. Essa é a maior alta para o mês de abril desde 2000. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O varejo também cresceu 0,4% na média móvel trimestral, 23,8% na comparação com abril do ano passado, 4,5% no acumulado do ano e 3,6% no acumulado de 12 meses.

Sete das oito atividades pesquisadas pelo IBGE tiveram alta na passagem de março para abril, com destaque para móveis e eletrodomésticos (24,8%), tecidos, vestuário e calçados (13,8%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (10,2%). Também tiveram aumento no volume de vendas os segmentos de outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,7%), livros, jornais, revistas e papelaria (3,8%), combustíveis e lubrificantes (3,4%), e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,9%). A única queda de março para abril foi observada na atividade de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,7%).

A receita nominal do varejo teve altas de 1,4% na comparação com março deste ano, 36,1% em relação a abril do ano passado, 15,2% no acumulado do ano e 10,6% no acumulado de 12 meses. O varejo ampliado, que analisa também os veículos e materiais de construção, teve alta de 3,8% de março para abril, puxada pelos crescimentos de 20,3% do setor de veículos, motos, partes e peças, e de 10,4% da atividade de materiais de construção.

Também houve altas, no volume do varejo ampliado, na média móvel trimestral (0,7%), comparação com abril de 2020 (41%), acumulado do ano (9,2%) e acumulado de 12 meses (3,5%). A receita do varejo ampliado cresceu 3,8% em relação a março deste ano, 54,1% na comparação com abril do ano passado, 20,7% no acumulado do ano e 10,8% no acumulado de 12 meses.

Com Agência Brasil

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Ministro, marido de Patricia Abravanel defende Bolsonaro, ataca imprensa e minimiza 500 mil mortes da Covid

Ministro, marido de Patricia Abravanel defende Bolsonaro, ataca imprensa e minimiza 500 mil mortes da Covid (Imagem: Reprodução / Twitter) O Brasil chegou ao nível...

Ministro, genro de Silvio Santos negocia telejornal só de boas notícias do Governo Bolsonaro

Fábio Faria negocia telejornal a favor do Governo Bolsonaro (Imagem: Reprodução / Globo) Ministro das Comunicações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Fábio Faria negocia...

Atividade econômica de Santa Catarina cresce 0,56%

O resultado foi o terceiro melhor do país Santa Catarina mostra uma recuperação mais consistente do que...

Bolsonaro comprou briga com Edir Macedo antes de apontar Crivella para embaixada na África do Sul

Bolsonaro cutucou Edir Macedo durante crise da Igreja Universal (Imagem: Reprodução – SBT / Montagem – RD1) O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), algumas semanas...

Sul se torna a segunda principal região do país para a construção civil

Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul elevaram sua participação para 18% Em 500 MAIORES DO SUL,...