Varejo cresce 0,6% em setembro

Comércio tem quinta alta consecutiva desde maio

Apesar da trajetória crescente, o resultado indica uma desaceleração frente às altas dos meses anteriores

As vendas do comércio varejista cresceram 0,6% em setembro, quinta taxa positiva consecutiva desde maio. Apesar da trajetória crescente, o resultado indica uma desaceleração frente às altas dos meses anteriores – agosto (3,1%), julho (4,7%), junho (8,7%) e maio (12,2%). Em relação a setembro de 2019, o comércio cresceu 7,3%. As informações são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (11), pelo IBGE.

“Trata-se de uma diminuição do ritmo de crescimento nos volumes do varejo nacional. A desaceleração é natural e representa uma acomodação, porque as quedas de março e abril foram muito expressivas, o que fez com que os meses seguintes de recuperação também tivessem altas intensas. A desaceleração é como se a série estivesse voltando à normalidade”, analisa Cristiano Santos, gerente da PMC. Com a variação de 0,6% em setembro, o patamar do comércio varejista, que já havia atingido nível recorde em agosto, continua em crescimento.

Santos também destaca o resultado forte do trimestre de julho a setembro. Em relação ao trimestre anterior, a alta foi de 17,2%, recorde da série história iniciada em 2000. “Isso ocorreu, porque os trimestres anteriores apresentaram desempenho muito baixo: -1,9% no primeiro e -8,5% no segundo. Em relação ao terceiro trimestre de 2019, o aumento é de 6,3%, a maior alta desde 2014”, ressalta.

O setor de supermercados está sendo impactado pela inflação de alimentos. De abril a setembro, o setor teve crescimento de 10,6% na receita, enquanto em volume, o ganho foi de 4,7% nesse período. “A inflação de alimentos em setembro impactou bastante. Nos três últimos meses, os indicadores de receita do setor registram dois índices positivos, 2,1% em setembro e 0,5% em julho, e um negativo, -0,7% em agosto. Já os indicadores de volume foram todos negativos em setembro (-0,4%), agosto (-2,1%) e julho (-0,3%), o componente da inflação influencia os indicadores nos últimos três meses”, explica.

O comércio varejista ampliado – que contempla veículos e materiais de construção – cresceu 1,2% em relação a agosto de 2020, quinta variação positiva consecutiva deste indicador. O setor de veículos, motos, partes e peças registrou crescimento de 5,2% enquanto em material de construção, o aumento foi 2,6%, ambos, respectivamente, após avanços de 8,3% e 3,6% no mês anterior.

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Genro de Silvio Santos, Fábio Faria compra briga por causa de Bolsonaro

Ministro das Comunicações, Fábio Faria sai em defesa de Bolsonaro(Imagem: Reprodução / Globo) Ministro das Comunicações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Fábio Faria foi...

Luciano Huck conversa com Marina Silva e Manuela D’Ávila contra Bolsonaro

Luciano Huck fez videochamada com Marina Silva e Manuela D’Ávila contra Bolsonaro (Imagem: Divulgação/ Globo) Virtual candidato à presidência da República em 2022, Luciano Huck...

Apesar da pandemia, cooperativas catarinenses têm surpreendente crescimento em 2020

Um dos dados mais relevantes é a expansão do número de cooperados que avançou 11,6%

Flávio Bolsonaro compra mansão, Rachel Sheherazade ataca sem dó e web reage

Jornalista Rachel Sheherazade se manifesta após Flávio Bolsonaro comprar mansão luxuosa em Brasília (Imagem: Reprodução – SBT – Globo / Montagem – RD1) O senador...

BC iguala limite do Pix ao das transferências eletrônicas

Para compras, passará a valer limite do cartão de débito