Inflação avança 0,86% em outubro

É a maior alta para o mês desde 2002

Alimentação teve forte impacto no índice

A alta no preço dos alimentos e das passagens aéreas pressionou a inflação de outubro, que acelerou para 0,86%, acima da taxa registrada em setembro (0,64%). Esse é o maior resultado para um mês de outubro desde 2002, quando o indicador foi de 1,31%. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo IBGE. No ano, a inflação acumula alta de 2,22% e, em 12 meses, de 3,92%, acima dos 3,14% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2019, o indicador havia ficado em 0,1%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em outubro. A maior variação (1,93%) e o maior impacto (0,39 ponto percentual) vieram, mais uma vez, de alimentação e bebidas, que desaceleraram em relação ao resultado de setembro (2,28%). Isso ocorreu em função das altas menos intensas em alguns alimentos, como o arroz (13,36%) e o óleo de soja (17,44%).

Por outro lado, a alta nos preços do tomate (18,69%) foi maior que em setembro (11,72%). Outros itens, como as frutas (2,59%) e a batata-inglesa (17,01%), também registraram variações positivas em outubro, após recuo dos preços no mês anterior. As carnes subiram 4,25%. Já no lado das quedas, destacam-se a cebola (-12,57%), a cenoura (-6,36%) e o alho (-2,65%). “Todos esses itens têm contribuído para alta sustentada dos preços dos alimentos, que foram de longe o maior impacto no índice do mês”, afirma Pedro Kislanov, gerente da pesquisa.

O segundo maior impacto (0,24 ponto percentual) sobre a inflação veio dos transportes (1,19%), principalmente, das passagens aéreas (39,83%), que contribuíram com 0,12 ponto percentual exercendo o maior impacto individual no índice geral. Houve alta nos preços das passagens em todas as regiões pesquisadas, que foram desde os 21,66% em Porto Alegre até 49,71% em Curitiba. “A alta nas passagens aéreas parece estar relacionada à demanda, já que com a flexibilização do distanciamento social, algumas pessoas voltaram a utilizar o serviço, o que impacta a política de preços das companhias aéreas”, explica Kislanov, lembrando que os preços das passagens foram coletados em agosto para quem ia viajar em outubro.

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Fernando Siqueira Carvalho explica como a tecnologia interfere na forma em que voamos.

Quem nunca quis voar? Com o passar do tempo a humanidade foi evoluindo e hoje em dia somos capazes de fazê-lo.Segundo Fernando...

Da plantação ao armazenamento: conheça a produção de vinho

Parece muito simples, mas existem muitos processos que afetam a qualidade final do vinho. Marco Antonio Carbonari, dono...

Tudo o que você precisa saber sobre vinhos de guarda

Faz parte do senso comum a crença na expressão “vinho, quanto mais velho, melhor”. No entanto, Marco Antonio...

Você já conhece a degustação online?

Na pandemia, o hábito de beber em casa se tornou mais popular. Desde o início do ano, o...

Marcio Alario Esteves comenta sobre o Motocross infantil

Marcio Alario Esteves é um grande entusiasta do setor automobilístico e nos conta neste artigo que a prática de esportes auxilia muito...