Mais Médicos é reforçado em mais de mil municípios

A partir desta segunda-feira (24), mais de mil municípios, localizados em todo o país, além de dez Distritos Sanitários Especiais Indígenas, começarão a receber 1.975 profissionais selecionados para o Mais Médicos, durante o 18º ciclo do programa. Confira a lista dos municípios que serão reforçados.

Segundo o Ministério da Saúde, o reforço beneficiará mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil.

Algumas delas com histórica dificuldade de acesso, caso de localidades ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas.

Os profissionais selecionados terão até o dia 28 de junho para comparecer aos municípios e iniciar as atividades nas unidades de saúde.

Nesta primeira fase do 18º ciclo do programa, a seleção priorizou a participação de profissionais “formados e habilitados com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM)”, preferencialmente “com perfil de atendimento para a Atenção Primária”.

Para tanto, o Ministério da Saúde estabeleceu “critérios de classificação, como títulos de Especialista e/ou Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade”.

*Com informações da Agência Brasil

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Lula surpreende e passa a seguir Juliette e Gilberto nas redes sociais

Lula passa a seguir Juliette e Gilberto nas redes sociais (Imagem: Reprodução – Agência Brasil – Globo/ Montagem – RD1) O ex-presidente Luiz Inácio Lula...

Bolsonaro se revolta com o Jornal Nacional e diz que prefere ver Chaves

Bolsonaro reage de forma inusitada contra o Jornal Nacional (Imagem: Reprodução – Globo/ Montagem – RD1) O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu novamente soltar...

Como fusões e aquisições contribuem para as estratégias de crescimento?

Temática será debatida em master live com especialistas do mercado no dia 11 de maio

Carlos Moisés é absolvido no caso dos respiradores

Governador estava afastado do cargo desde 30 de março

Produção de veículos recua quase 5% em abril

Anfavea prevê que fábricas poderão voltar a paralisar por falta de peças