Outubro Rosa: Terminais da Saque e Pague permitirão doação à FEMAMA

Durante todo o mês, batizado de Outubro Rosa, diversas ações em prol da conscientização sobre o câncer de mama acontecerão. Uma delas é a #AtitudeRosa, da Saque e Pague, que permite que a população que utilize seus terminais de autoatendimento faça doações diretamente para a FEMAMA – Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama.

Todos os terminais de atendimento estarão disponíveis para doações nos 23 estados em que a empresa está presente, entre 1º e 31 de outubro. Segundo o diretor presidente da Saque e Pague, Givanildo Luz, o objetivo da companhia é fortalecer “uma corrente do bem”.

“Oferecemos a capilaridade de nossa rede para que as pessoas possam, de uma forma prática, exercer a filantropia para uma causa tão relevante como é a do Outubro Rosa. É mais do que conscientização. É iniciativa e atitude para fazer o bem”, explicou.

A FEMAMA é uma associação civil e está presente em 17 estados brasileiros por meio de 71 ONGs associadas. Ela atua na articulação de uma agenda nacional única para influenciar a criação de políticas públicas de atenção à saúde da mama, com foco na ampliação do acesso ágil e adequado ao diagnóstico e ao tratamento do câncer de mama e na redução dos índices de mortalidade pela doença no País.

O câncer de mama é o tipo que mais atinge mulheres em nosso país e a previsão é de que cerca de 60 mil novos casos sejam diagnosticados no Brasil em 2019.

A rede da Saque e Pague possui mais de mil e trezentos terminais e mais de 30 parceiros estratégicos.

Artigos Relacionados

Comentários

Compartilhar

Últimas Notícias

Balança comercial tem superávit de US$ 1,1 bilhão em fevereiro

Resultado é o mais baixo para o mês em sete anos

Confiança deixa de ser homogênea entre os segmentos da indústria

ICEI teve resultados setoriais difusos em fevereiro

Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás

Reajuste será nas refinarias e entra em vigor nesta terça

Asfixia silenciosa por Covid-19: ‘Não senti nada, mas meus pulmões estavam tomados’, diz jovem

Apesar de não apresentar febre, tosse ou falta de ar, a engenheira de produção Bruna Chagas, de 33 anos, procurou o atendimento de saúde...

O ar que me falta

Três razões tornaram a leitura do livro de Luiz Schwarcz uma experiência fulminante